quinta-feira, 19 de abril de 2012

Maternidade há só uma!

Desde que o meu filho nasceu, passei a ter uma grande consideração, respeito e estima pela Maternidade Alfredo da Costa e passei a referir-me a ela com muita reverência. Bem sei que me ajudaram a trazer ao mundo o meu tesourinho e isso marca e reconhecesse para o resto da vida, mas não é só por isso, sentia-se brio no trabalho, dedicação, profissionalismo...
Conheço os melhores hospitais particulares da capital, mas desde então decidi peremptoriamente que se tivesse outro filho era lá que nasceria também, porque fiquei a achar que era A maternidade da cidade por excelência, e uma pessoa não faz ideia, até ir lá parar prestes a ser mãe.
Fui muitíssimo bem tratada, sentia-me segura e as equipas, desde as médicas até às auxiliares, transmitiam confiança, e até os equipamentos pareciam de ponta, posso dizer que até acarinhada me senti, pelo que lhe ganhei tanto carinho também.
Vi, das duas ou três vezes que lá fui, sempre a casa cheia de mães, grávidas, recém-nascidos, bebés... pelo que pensava eu que tinha uma taxa de utilização e ocupação acima das suas possibilidades e que estava francamente abaixo da sua procura e que fazia um esforço para responder a essa procura, afinal... vão fechá-la!! Que má ajuizadora sou!! Ou eu, ou o governo!! Assim à primeira vista, pensei que era do melhor que o país tinha, e afinal... vão fechá-la!! Ou os nossos governantes são uns génios que têm na manga trunfos fantásticos que desconhecemos e não entendemos, ou querem definitivamente acabar com este país e com o que de melhor há nele!! Não se percebe, não se percebe e custa a aceitar!!
O argumento que subjaz ao fecho da MAC parece-me quase assustador, porque a ser assim, o governo terá de fechar e acabar com escolas, universidades, hospitais, centros de súde, transportes públicos, caminhos de ferro, polícias, tribunais... bom, deve ser o próximo passo!!
Por favor, haja limites à tecnocraia e à eficiência e pragmatismo economicos!!

Sem comentários:

Publicar um comentário